domingo, 14 de agosto de 2016

O nazismo esteve para Einstein, como o fascismo está para o Almirante Othon

.


Portal Pravda
14.08.2015

"O nazismo esteve para Einstein, como o fascismo está para o Almirante Othon"

por Fernando Soares Campos

Trechos:

Analogia por semelhança entre os casos e por fatos opostos

O nazismo esteve para Einstein, assim como o fascismo caboclo do Brasil está para o Almirante Othon Pinheiro da Silva. A diferença está nos aliados a quem o almirante poderia hoje recorrer. Se Einstein refugiou-se nos Estados Unidos para escapar da Alemanha nazista, Othon, para se livrar da perseguição do fascismo caboclo, teria atualmente a opção de buscar refúgio na Rússia ou no Irã.

A perseguição e prisão do almirante Othon (preso pela PF na Operação Lava Jato e condenado a 43 anos de prisão) também podem ser compreendidas como um caso às avessas do caso Julius e Ethel Rosenberg, acusados de espionagem e revelação de segredos científicos para instituições de pesquisa nuclear da antiga União Soviética (URSS), o que pode ter sido a chave que os soviéticos precisavam para fabricar a bomba atômica. Os dois foram condenados à morte e executados em cadeira elétrica, na prisão de Sing Sing, EUA, em 1953. O próprio Einstein protestou veementemente contra a condenação do casal.

Por que afirmo que se trata de casos opostos? Porque as acusações de lá e de cá são esdruxulamente díspares. Enquanto o casal Rosenberg foi acusado de entregar segredos científicos da área de estudos da energia nuclear ao inimigo, o cientista almirante Othon se recusou a revelar ou vender os segredos do desenvolvimento de centrífugas de enriquecimento de urânio e de propulsão nuclear para submarinos aos americanos, que já possuem suas próprias tecnologias nessa área há muitos anos, porém o que aqui em nosso país se desenvolveu interessa a eles, como já afirmei, por questões econômico-financeiras e geopolíticas.

(...)

A delação e a ilógica de propina para enriquecimento ilícito

Rogério Nora de Sá, ex-presidente da Andrade Gutierrez, delator na Operação Lava Jato, declarou à Justiça Federal que o almirante Othon, na condição de presidente da Eletronuclear, pediu "contribuição política" para o PT e para o PMDB, além de "contribuição científica" para seus próprios “projetos futuros”, o desenvolvimento de turbinas. "Rogério disse ter concordado com o pedido, sendo definido que, quando os contratos passassem a ter eficácia, haveria o pagamento da ‘contribuição política’ e da ‘contribuição científica’”.

"Indagado a respeito do benefício que a Andrade Gutierrez esperava ter ao realizar os pagamentos de propina para Othon Luiz, Rogério Nora respondeu que não esperava benefício em relação à lucratividade da obra, mas sim que a empresa não fosse prejudicada ou sofresse algum tipo de represália que atrapalhasse o seu andamento. Ao final, esclareceu não ter participado de qualquer situação ilícita envolvendo a licitação para a montagem eletromecânica." Assim declarado, consta do depoimento do delator. Nisso não se pode afirmar que Othon tenha achacado o executivo. Deduz-se apenas que Rogério Nora deve ter amargas experiências em relacionamento com responsáveis pela fiscalização de obras executadas por sua empresa, elementos que tenham criado obstáculos, reprovando métodos, equipamentos, produtos e serviços, sob a alegação de que não atendiam especificações e normas técnicas, até que uma polpuda propina fosse paga para aprovação das etapas realizadas e liberação das parcelas de pagamento.

Leia completo AQUI 


sábado, 13 de agosto de 2016

O nazismo esteve para Einstein, como o fascismo está para o Almirante Othon

.


Portal Pravda
14.08.2015

"O nazismo esteve para Einstein, como o fascismo está para o Almirante Othon"

por Fernando Soares Campos

Trechos:

Analogia por semelhança entre os casos e por fatos opostos

O nazismo esteve para Einstein, assim como o fascismo caboclo do Brasil está para o Almirante Othon Pinheiro da Silva. A diferença está nos aliados a quem o almirante poderia hoje recorrer. Se Einstein refugiou-se nos Estados Unidos para escapar da Alemanha nazista, Othon, para se livrar da perseguição do fascismo caboclo, teria atualmente a opção de buscar refúgio na Rússia ou no Irã.

A perseguição e prisão do almirante Othon (preso pela PF na Operação Lava Jato e condenado a 43 anos de prisão) também podem ser compreendidas como um caso às avessas do caso Julius e Ethel Rosenberg, acusados de espionagem e revelação de segredos científicos para instituições de pesquisa nuclear da antiga União Soviética (URSS), o que pode ter sido a chave que os soviéticos precisavam para fabricar a bomba atômica. Os dois foram condenados à morte e executados em cadeira elétrica, na prisão de Sing Sing, EUA, em 1953. O próprio Einstein protestou veementemente contra a condenação do casal.

Por que afirmo que se trata de casos opostos? Porque as acusações de lá e de cá são esdruxulamente díspares. Enquanto o casal Rosenberg foi acusado de entregar segredos científicos da área de estudos da energia nuclear ao inimigo, o cientista almirante Othon se recusou a revelar ou vender os segredos do desenvolvimento de centrífugas de enriquecimento de urânio e de propulsão nuclear para submarinos aos americanos, que já possuem suas próprias tecnologias nessa área há muitos anos, porém o que aqui em nosso país se desenvolveu interessa a eles, como já afirmei, por questões econômico-financeiras e geopolíticas.

(...)

A delação e a ilógica de propina para enriquecimento ilícito

Rogério Nora de Sá, ex-presidente da Andrade Gutierrez, delator na Operação Lava Jato, declarou à Justiça Federal que o almirante Othon, na condição de presidente da Eletronuclear, pediu "contribuição política" para o PT e para o PMDB, além de "contribuição científica" para seus próprios “projetos futuros”, o desenvolvimento de turbinas. "Rogério disse ter concordado com o pedido, sendo definido que, quando os contratos passassem a ter eficácia, haveria o pagamento da ‘contribuição política’ e da ‘contribuição científica’”.

"Indagado a respeito do benefício que a Andrade Gutierrez esperava ter ao realizar os pagamentos de propina para Othon Luiz, Rogério Nora respondeu que não esperava benefício em relação à lucratividade da obra, mas sim que a empresa não fosse prejudicada ou sofresse algum tipo de represália que atrapalhasse o seu andamento. Ao final, esclareceu não ter participado de qualquer situação ilícita envolvendo a licitação para a montagem eletromecânica." Assim declarado, consta do depoimento do delator. Nisso não se pode afirmar que Othon tenha achacado o executivo. Deduz-se apenas que Rogério Nora deve ter amargas experiências em relacionamento com responsáveis pela fiscalização de obras executadas por sua empresa, elementos que tenham criado obstáculos, reprovando métodos, equipamentos, produtos e serviços, sob a alegação de que não atendiam especificações e normas técnicas, até que uma polpuda propina fosse paga para aprovação das etapas realizadas e liberação das parcelas de pagamento.

Leia completo AQUI 


sexta-feira, 8 de julho de 2016

Por quantos contos venderam meu conto? Saudades do Apocalipse e Elysium, um plágio escancarado

.

Por quantos contos venderam meu conto?

Saudades do Apocalipse e Elysium, um plágio escancarado

Portal Pravda, edição em português - 08.07.2016


“Elysium”, superprodução hollywoodiana de ficção científica. 

Lançado em 2013, o filme tem como autor-roteirista Neill Blomkamp, que criou uma trama com pouca dramaticidade e muita ação, utilizando recursos de câmera e edição digital ─ cenas realizadas por computação gráfica.

Acontece que a sinopse do filme, considerando a estrutura fundamental ao desenvolvimento do argumento geral, serviria perfeitamente para descrever um conto de minha autoria intitulado "Saudades do Apocalipse", ficção científica, que escrevi por volta do ano 2000, publicado em livro de mesmo título pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores, em 2003 (8 contos e um esquete), fazendo apenas ligeiras alterações, basicamente nas datas em que a história se desenvolve e na denominação da estação espacial.

Sinopse de Elysium:

A história futurista se passa em 2154, quando uma pequena parte da população humana vive em Elysium, uma enorme estação espacial, semelhante a um Cilindro de O'Neill, um habitat artificial disponível apenas para os mais ricos e onde qualquer doença ou ferimento são rapidamente curados em máquinas médicas chamadas de "Med-Bays". O resto da população mora na Terra superpopulosa e pós-apocalíptica.

Usando a sinopse de "Elysium" para descrever meu conto "Saudades do Apocalipse":

A história futurista se passa nos anos 2053/54, quando uma pequena parte da população humana vive em SiJO's - Sideral Joint Ownerships, estações espaciais, habitats artificiais disponíveis apenas para os mais ricos, muitos deles já ultrapassam em muito os cem anos de idade (isso quer dizer que contam com as tais máquinas de cura conforme relatado na sinopse de "Elysium"). O resto da população mora na Terra superpopulosa e pós-apocalíptica.

LEIA ARTIGO NO PORTAL PRAVDA:
___________________________________________________
Ilustração: AIPC - Atrocious Intermational Piracy of Cartoon
PressAA






Por quantos contos venderam meu conto? Saudades do Apocalipse e Elysium, um plágio escancarado

.

Por quantos contos venderam meu conto?

Saudades do Apocalipse e Elysium, um plágio escancarado

Portal Pravda, edição em português - 08.07.2016

“Elysium”, superprodução hollywoodiana de ficção científica. 

Lançado em 2013, o filme tem como autor-roteirista Neill Blomkamp, que criou uma trama com pouca dramaticidade e muita ação, utilizando recursos de câmera e edição digital ─ cenas realizadas por computação gráfica.

Acontece que a sinopse do filme, considerando a estrutura fundamental ao desenvolvimento do argumento geral, serviria perfeitamente para descrever um conto de minha autoria intitulado "Saudades do Apocalipse", ficção científica, que escrevi por volta do ano 2000, publicado em livro de mesmo título pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores, em 2003 (8 contos e um esquete), fazendo apenas ligeiras alterações, basicamente nas datas em que a história se desenvolve e na denominação da estação espacial.

Sinopse de Elysium:

A história futurista se passa em 2154, quando uma pequena parte da população humana vive em Elysium, uma enorme estação espacial, semelhante a um Cilindro de O'Neill, um habitat artificial disponível apenas para os mais ricos e onde qualquer doença ou ferimento são rapidamente curados em máquinas médicas chamadas de "Med-Bays". O resto da população mora na Terra superpopulosa e pós-apocalíptica.

Usando a sinopse de "Elysium" para descrever meu conto "Saudades do Apocalipse":

A história futurista se passa nos anos 2053/54, quando uma pequena parte da população humana vive em SiJO's - Sideral Joint Ownerships, estações espaciais, habitats artificiais disponíveis apenas para os mais ricos, muitos deles já ultrapassam em muito os cem anos de idade (isso quer dizer que contam com as tais máquinas de cura conforme relatado na sinopse de "Elysium"). O resto da população mora na Terra superpopulosa e pós-apocalíptica.

LEIA ARTIGO NO PORTAL PRAVDA:
___________________________________________________
Ilustração: AIPC - Atrocious Intermational Piracy of Cartoon
PressAA






quinta-feira, 30 de junho de 2016

Caixinha, obrigado!

.


Caixinha, obrigado!

Surgem imagens do processo que acusou Temer de receber propina em Santos

Jornal GGN - QUA, 29/06/2016 -Imagens do processo em que o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) foi acusado de receber recursos públicos desviados da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) foram divulgadas pelo portal Conversa Afiada nesta terça (28). Os documentos mostram que houve, de fato, a denúncia de que Temer teria um acordo com seu apadrinhado na Codesp para receber 50% da propina sobre contratos de licitações ou concessões de portos.
(...)
No documento divulgado pelo CA, consta que em meados de 1997 houve uma viagem de Erika e Azeredo com contornos de “lua de mel” para os Estados Unidos.

“Antes desse momento, o requerido [Azeredo], na qualidade de presidente [da Codesp], efetuou uma série de licitações para terceirização de alguns serviços, ou concessão de outros, ou concessão de uso de terminais para embarque/desembarque. Estas ‘caixinhas’ ou ‘propinas’ eram negociadas com os vencedores das licitações ou com os concessionários, e repartida entre o requerido, seu ‘padrinho político’, o deputado Michel Temer, hoje presidente da Câmara dos Deputados, e um tal de Lima.”

Caixinha, obrigado!
Assista AQUI
________________________________________________
Ilustração: AIPC - Atrocious International Piracy of Cartoon

PressAA


domingo, 26 de junho de 2016

Mídia estrangeira detona golpe no Brasil

.


Mídia estrangeira detona golpe no Brasil

por Fernando Soares Campos
Cenk Uygur, comentarista político do TYT Network TV, dos EUA, analisa o golpe de Estado em andamento no Brasil, através de reportagem de Glenn Greenwald, no The Intercept.

Recebi esse vídeo por e-mail do meu amigo Raul Longo, que por sua vez o recebeu de um amigo seu residente na Espanha, com legendas em espanhol. Resolvi traduzir para o português e publicar o áudio, ilustrando determinadas passagens com uma boa dose de humor; do que, por sinal, está repleto em todo o comentário do Cenk. Certamente o Brasil é hoje piada pronta em todo o mundo e, provavelmente, o general De Gaulle concordaria. Sério!

Ao tomar conhecimento de que Michel Temer foi condenado por abuso econômico em campanha eleitoral, ficando impedido de exercer cargo público por 8 anos, Cenk exclamou: "Puseram na Presidência um sujeito que não podia apresentar-se para trabalhar num canil municipal no Brasil!".

Realização: Assaz Atroz Reproduções
Ilustração: AIPC - Atrocious International Piracy of Cartoons





quarta-feira, 15 de junho de 2016

Jornalismo investigativo precisa de seu apoio --- Vídeo: Canalhocratas golpistas

.

DCM: Vamos investigar a caixa preta de Temer em
 Santos e em Guarulhos. E contamos com você

Postado em 15 Jun 2016 por : Diário do Centro do Mundo

Cada vez mais atolado em escândalos, com a perspectiva real de ir em cana, Eduardo Cunha virou um problema para o interino por causa do que sabe do ex-sócio.

E se ele resolve falar? E se, no desespero, topa uma delação premiada?

E se abrir o bico sobre os negócios de Temer no Porto de Santos e o Aeroporto de Guarulhos, que ele ajudou a concretizar?

Em janeiro, veio à tona a denúncia de que as campanhas de dois deputados federais do PMDB, Hermes Parcianello e João Arruda, receberam dinheiro do Grupo Libra através de transferências da conta de campanha de Michel Temer em 2014.

O Libra obteve uma vantagem inédita para administrar o Porto de Santos depois de uma emenda parlamentar incluída por Cunha na nova Lei de Portos. Foi o único beneficiário de uma brecha na nova legislação, que permitiu a empresas em dívida com a União renovarem contratos de concessão de terminais portuários.

Os dois trabalharam juntos também numa outra história. Segundo parecer de Rodrigo Janot, enviado ao STF, o interino recebeu uma doação de 5 milhões de reais da OAS, propina que teria facilitado a obtenção da concessão do Aeroporto de Guarulhos.

O nome de Temer aparece em mensagens encontradas no celular do ex-presidente da empreiteira: “Léo Pinheiro afirmou que explicaria, pessoalmente, para Eduardo Cunha [sobre a doação], mas que o pagamento dos R$ 5 milhões para Michel Temer estava ligado a Guarulhos”, escreveu Janot.

O DCM quer contar essa história direito num novo projeto de crowdfunding:
O esquema de temer no porto de Santos e no aeroporto de Guarulhos
R$1,665.00 foram doados. Nossa meta para realizar o projeto é de R$50,000.00

A exemplo do que fizemos nos outros projetos de crowdfunding, como o Helicoca e Furnas, vamos jogar luzes numa zona sombria — especialmente depois do golpe.

Leia mais: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/vamos-investigar-a-caixa-preta-de-temer-em-santos-e-em-guarulhos-e-contamos-com-voce/

***
Conheça parte da história do canalha-mor
Canalha, tu é um verdadeiro canalha.
Se tu for pra rua
A galera te malha,
Fica em casa, canalha!














Canalhocratas golpista (Reportagem c/ilustrações satíricas)
Assista AQUI

_______________________________________________________________________________
Ilustração: AIPC - Atrocious International Piracy of Cartoons
PressAA